0
Print Friendly Version of this pagePrint Get a PDF version of this webpagePDF
Objectivos:
- Interpretar o texto;
- Identificar o tipo de narrador;
- Identificar as personagens, o tempo e o espaço;
- Descobrir palavras sinónimas;
- Identificar recursos estilísticos;
- Reconhecer a estrutura da narrativa presente no texto;
- Analisar sintáctica e morfologicamente;
- Reconhecer os vários graus dos adjectivos;
- Descobrir e corrigir erros num texto.


Lê o texto com muita atenção e responde correctamente.


O galo das penas grandes

Era uma vez um galinho que andava a esgaravatar num campo e achou uma bolsa cheia de dinheiro.
Principiou a magicar a quem daria o dinheiro, que melhor o recompensasse. Decidiu que o levaria ao rei e partiu a caminho do palácio, com a bolsa ao pescoço.
No caminho, encontrou uma raposa:
- Aonde vais, galinho?
- Vou levar esta bolsa de dinheiro ao rei.
- Eu também quero ir.
- Mete-te aqui para as minhas penas.
Lá se meteu a raposa. Mais adiante, encontrou muitas pedras que lhe perguntaram:
- Onde vais, galinho?
- Vou levar esta bolsa de dinheiro ao rei.
- Nós também vamos.
- Arrumem-se aqui, nas minhas penas.
Encontrou mais uma ribeira e mais um enxame de abelhas que lhe pediram para ir com ele. O galo mandou-os esconderem-se nas penas.
Chegou ao palácio, cheio de todas aquelas coisas, e pediu para entregar a bolsa. O rei lá recebeu o dinheiro, mas mandou-o meter no galinheiro.
Ficou o galo todo zangado, porque esperava uma grande recompensa em troca da bolsa. Para se vingar, deixou sair das penas a raposa que comeu as galinhas todas!


O galinho pôs-se em cima do galinheiro, a cantar:
Qui-quiri-qui!
Venham ver o que eu fiz aqui!
Vieram ver e já não havia nenhuma galinha. Disse o rei:
- Metam o galinho dentro dum pote.
Assim se fez. Logo que se lá viu, deitou fora as pedras. O pote esmigalhou-se e o galinho pôs-se a cantar:
Qui-quiri-qui!
Venham ver o que eu fiz aqui!
Foram dizer ao rei o que havia e ele mandou-o meter num forno bem aceso. O galinho, assim que o meteram lá, largou a ribeira e apagou-se o fogo. O galinho pôs-se a cantar, em cima do telhado:
Qui-quiri-qui!
Venham ver o que eu fiz aqui!
O rei, já desesperado, mandou:
- Tragam cá esse maroto, que lhe quero, eu mesmo, tirara as penas.
Assim que o rei tirou a capa e outras roupas, para se mexer melhor, o galinho largou as abelhas e elas pegaram-se-lhe todas ao corpo, que se encheu de papos por todos os lados. Levaram-no para a cama quase acabado.
Deram outra vez a bolsa do dinheiro ao galo, com a condição de se ir logo embora, visto fazer tanta maldade.
O galinho assim fez. Quando chegou à sua terra distribuiu o dinheiro pelos pobrezinhos, que era mais bem empregado neles do que no rei.
Seja Deus louvado
E o meu conto acabado,
Que não é bonito,
Mas é bem contado.

Conto popular recolhido em S. Vicente




A. Compreensão do texto.

1. Refere o tipo de narrador presente na história.
     1.1.Transcreve do texto uma frase que justifique a tua resposta.
2. Identifica as personagens do texto.
3. Localiza a acção no espaço.
4. Retira uma expressão do texto que localize a acção no tempo.
5. Faz o retrato psicológico do rei, segundo as suas intenções e forma de actuação.
6. Refere como correspondeu o rei à entrega da bolsa.
7. Diz, por palavras tuas, como se terá sentido o galo no galinheiro real.
8. Dá a tua opinião sobre a atitude do rei.
9. O comportamento do galo é completamente desinteressado.
9.1. Concordas com esta afirmação? Justifica com uma expressão do texto.
10.  Enumera as peripécias realizadas ao longo da história.
11. Dos seguintes provérbios escolhe aquele que achas mais adequado ao texto. Justifica a tua escolha.
Devagar se vai ao longe.
Quem tudo quer tudo perde.
Mais vale um pássaro na mão que dois a voar.
Quem vai ao ar perde o lugar.

B. Sinonímia.
1. Indica sinónimos das seguintes palavras do texto:
“esgaravatar” (L. 1)
“principiou” (L.3)
“magicar” (L.3)
“recompensa” (L.25)
“esmigalhou-se” (L.32)
“desesperado” (L. 41)

C. Estrutura da narrativa.
1. Como sabes esta narrativa é um conto tradicional e podemos organizá-lo em três partes que tu já aprendeste.
1.1. Indica o início e o fim de cada uma dessas partes e atribui-lhe a respectiva designação.
______________  Início:”________”
Fim:”_________”
I______________  Início:”________”
Fim:”_________”
______________  Início:”________”
Fim:”_________”  
1.2.Diz de que forma se organiza esta narrativa.            (relembra                   ).

1.3. Para completar este esquema, dá um título a cada uma das partes.
D. Funcionamento da língua

1. Analisa sintaticamente as seguintes frases:
    a) O galo encontrou uma bolsa.
  b) A raposa comeu as galinhas.
    c) O galo levou uma bolsa ao rei.
2. O galo distribuiu uma bolsa cheia de dinheiro.
2.1. Analisa morfologicamente todas as palavras da frase.


3. Identifica os adjectivos das frases e indica em que graus se encontram.
a) Uma bolsa cheia de dinheiro.
b) O galo muito zangado.
c) A raposa era  mais esperta que o rei.

4. Reescreve o texto, corrigindo os erros:
Em Fevreiro, fizemos um jogo de fetebol e formámos uma equipe supresa. Tãobém fizemos uma runião com a professora de Educação Física que nos poribiu de amostrar as camisolas que nos tinhão ofrecido.
Ópois, deu-nos muintos rubeçados.
O Presidente da Cambra amostrou-nos a taça que iria oferecer ao primeiro lugar.
Antesdontem, nos intervais amadámos água uns aos outros e levámos uma bofatada cada um

Boa Sorte

Enviar um comentário Blogger

 
Top